17
ago

Lima, Vale Sagrado e Machu Picchu

Christian Matos 0 comment

Muito se fala sobre Machu Picchu. Sim, o lugar é fantástico e vale todo o esforço para se chegar até lá, inclusive suportar o processo de aclimatização ao ar rarefeito da cidade de Cusco, paragem (quase) obrigatória para se chegar à Cidade Perdida dos Incas. Mas Machu Picchu não deve ser o único objetivo de uma viagem ao Peru. Você tem a oportunidade de antes compreender melhor outras culturas pré-colombianas (aquelas anteriores à chegada dos espanhóis). Dessa forma sua visita se tornará muito mais significativa, e você também irá conhecer outros lugares surpreendentes nesta incrível parte da América do Sul.

Este post não traz detalhes nem sugestões relacionadas à viagem de peregrinação pela Trilha dos Incas, a pé desde Cusco até Machu Picchu.

_DSC4028
Escultura em madeira de civilização pré-colombiana – Museu Larco

De forma resumida eu sugiro o seguinte roteiro:

  • Passe ao menos dois dias inteiros em Lima, capital do Peru. Além de uma gastronomia incrível, que hoje influencia cozinhas de todo o mundo, lá você poderá entender melhor sobre a origem dos povos que habitaram a região há muitos séculos. Visite o Museu Larco: nele você irá aprender que a civilização Inca, apesar de grandiosa, somente é a mais famosa por uma questão cronológica – eram os Incas que dominavam a região na época da chegada dos espanhóis, por isso existem mais informações a seu respeito. Civilizações anteriores foram tão ou mais grandiosas e colaboraram muito com as tecnologias e organização dos próprios Incas.
_DSC4097
Soldados em frente ao Palácio Presidencial em Lima
  •  Siga para Cusco. Use a cidade como base para conhecer o Vale Sagrado, região à volta de Cusco na qual nasceram, se desenvolveram e morreram outras civilizações. Lembre-se que irá sair de Lima, que está ao nível do mar, e chegará em Cusco, a cerca de 3.400 metros de altitude. É quase impossível uma pessoa não sentir ao menos alguns efeitos da altitude e seu ar rarefeito, mas algumas pessoas sentem mais que outras. Eu, por exemplo, durmo mal e sinto dores de cabeça frequentes.  Mas como o passar do dias seu corpo vai se acostumando ao novo clima. Importante não fazer nenhum atividade extenuante nos primeiros dias.
_DSC4560
Centro de Cusco
  • Permita de dois a três dias inteiros para Cusco e Vale Sagrado. Conheça Andahuaylillas na Valle Sur, não deixe de visitar as Salinas de Maras, perto de Moray e a histórica Pisac.
_DSC4376
Tecelagem no Vale Sagrado.
_DSC4446
Salinas de Maras
  • Siga de trem e durma uma noite na charmosa cidade Inca de Ollantaytambo ou no vale de Urubamba, algo como metade do caminho para Aguas Calientes, base para Machu Picchu.
DSC_0165
Algumas das diferentes variedades de milho no Peru
  • Durma a noite anterior em Aguas Calientes – ou saia bem cedo de Ollantaytambo. O importante é chegar cedo em Muchu Picchu.
  • Se for uma pessoa que gosta muito de exercício e aguentar fortes emoções, recomendo se programar para subir a montanha de Huayna Picchu, o simbólico pico ao norte da cidade Inca. A subida não é para qualquer um e deve ser programada com antecedência, em função do número limitado de ingressos diários para a atração. Veja mais detalhes neste link.

DSC_0500

  • Se tiver realmente interesse em conhecer melhor a história dos povos e de todos os sítios arqueológicos que irá visitar, eu recomendo contratar tour privado. Se estiver em grupo de 4 pessoas, pode ser mais vantajoso que todos irem em um tour com muitas pessoas.

_DSC5061

Como Chegar

A Latam oferece voos diretos desde São Paulo, e a TACA Peru, desde São Paulo e Rio de Janeiro, diretamente ou através da Avianca. Você pode comprar a passagem através da modalidade de múltiplos destinos, desta forma pode optar por passar alguns dias em Lima antes de seguir para Cusco.

Para visitar o Vale Sagrado o ideal é trabalhar com uma agência local, que irá fornecer um guia e transporte entre as atrações.

O caminho entre Cusco e o povoado de Machu Picchu (Aguas Calientes) deve ser feito de trem. Quanto ao trem, existem diferentes opções, desde a mais simples, utilizada pelo moradores locais, passando pelos carros de classe “turística” até o mais luxuoso, da rede de hotéis Belmond, que pode incluir pernoites luxuosas no caminho pelos Andes Peruanos. Você encontra detalhes sobre opções e valores neste link.

_DSC4302
Tapas no delicioso Cicciolina, em Cusco.

Onde Ficar em Lima

Os melhores bairros para se hospedar em Lima são San Isidro e Miraflores.

Onde Ficar em Cusco

  • Belmond Hotel Monasterio – suntuoso cinco estrelas em antigo mosteiro do final do século XIV.
  • JW Marriott El Convento – extremamente bem localizado e com arquitetura que impressiona pela preservação de seus detalhes históricos.
  • Atiq Hotel Boutique – Preços adequados em um hotel boutique com muito charme e bem localizado, com lindas vistas de algumas de suas suítes.
  • Esplendor Cusco – ótima relação custo-benefício no centro de Cusco, poucos metros acima da praça principal.

Onde Ficar no Vale Sagrado

  • Tambo del Inca, a Luxury Collection Resort & Spa – luxuoso hotel no Vale Sagrado, único com parada do trem que o leva aos pés da montanha para Machu Picchu. Ótima opção para a noite anterior à visita à cidade perdida ou para usar como base para conhecer todo o vale. Você consegue diárias abaixo de US$200, o que é um ótimo valor para o nível do hotel.
  • Inkaterra Hacienda Urubamba – outra luxuosa opção no Vale Sagrado, com lindos e amplos bangalôs com belas vistas para as montanhas ao redor.
  • Tierra Viva Valle Sagrado Urubamba – ótimo custo-benefício no Vale Sagrado, a cerca de 15 km de Ollantaytambo.
  • Taypikala Valle Sagrado – Outra opção de ótimo valor no Valle Sagrado.

 

Onde ficar em Muchu Picchu

A grande maioria dos hotéis, na verdade, fica na cidade de Aguas Calientes, ou povoado de Machu Picchu, abaixo da montanha onde fica localizada a Cidade Perdida.

  • Belmond Santuary Lodge – o único hotel localizado no topo da montanha, ao lado da entrada do parque, com lindas vistas para o  Monte Huayna Picchu. Um cinco estrelas luxuoso, apesar de os quartos mais “simples” serem razoavelmente pequenos. O valor das diárias representa bem tal exclusividade.
  • Sumaq Machu Picchu Hotel – talvez o melhor cinco estrelas no povoado de Machu Picchu, localizado a beira do Rio Urubamba.
  • Casa Del Sol Machupicchu – estilo de hotel boutique, possui amplos quartos a beira do Rio Urubamba. Recomendado para casais.
  • Taypikala Machu Picchu – apesar de grande conta com quartos bem equipados e preserva bom serviço ao estilo de um pequeno hotel. Boa relação custo-benefício.

Onde Comer

A cozinha Peruana é famosa em todo o mundo em função de seu passado histórico, da variedade de seus temperos e da criatividade de seus chefes e, claro, não se limita somente ao quase onipresente ceviche. Listamos aqui algumas sugestões, mas as escolhas são tantas que sempre vale a pena pesquisar mais e se informar com amigos e concierge sobre novidades.

Lima

  • Nanka – Se denomina cozinha de Fusíon Orgánica. Pratos com apresentação sofisticada em ambiente agradável e descontraído. Comida fantástica.
  • Maido – Alta gastronomia Japonesa com forte influência peruana. Reservas são essenciais.
  • Astrid & Gaston – o outrora famosíssimo restaurante ainda possui sua clientela fiel, mas existe alguma reclamação quanto ao serviço atualmente. Faça reserva.
  • La Mar – Com filiais em outros países, inclusive no Brasil, oferece ótimos pratos peruanos a preços adequados.
  • El Mercado – Funciona somente no almoço este belo e descontraído restaurante de Miraflores especializado em frutos do mar, e comandado pelo renomado chef Rafael Osterling.

Cusco

  • Le Soleil – Cozinha Francesa a 3.400 metros de altitude.
  • Qespi – Cozinha Peruana moderna dentro no hotel JW Marriott. Prepare-se para preços mais elevados, mas qualidade e serviço à altura.
  • Cicciolina – Apesar do nome e de também oferecer pratos italianos, oferece deliciosas tapas no disputado bar. Preços bastante adequados.
  • Senzo – Ótimo serviço e perfeito equilíbrio entre as cozinhas Peruana e Espanhola neste restaurante dentro do hotel Belmond Monasterio.
  • Faustina – Uma unanimidade entre locais e turistas, o restaurante resume bem a experiência da cozinha Cusqueña. Bons preços.

Muchu Picchu – Aguas Calientes

  • The Tree House – Simpático e bem decorado restaurante especializado em criativos pratos Peruanos.
  • Chullpi Machupicchu – Comida Peruana de fusão com preços razoáveis. Trabalha com menu degustação.

 

Quando ir

Julho e Agosto são os meses mais cheios, exatamente quando ocorrem as férias de verão no hemisfério norte, que fornece a maioria de turistas na região. Esta é também a temporada menos úmida – nesta região aos pés dos Andes não existe exatamente uma temporada seca. Os meses mais chuvosos vão de Novembro a Abril, sendo Janeiro e Fevereiro os meses com maior histórico de precipitações.

Christian MatosConsultor de Viagens

Deixe uma resposta